Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

Meu samba

Conheci biblicamente muitas coisas nessa vida, mas não sei se tudo senti profundamente. Meus quadris mexeram suavemente no ritmo do samba, vivenciei a dor dos poetas da boemia e vi alguns carnavais indo embora com aquela saudade gostosa que sentimos de toda alegria que acarinha nossa memória. Fui cabrocha, bailarina, cortesã e colombina, e no mundo de faz de conta ri e chorei feito menina nos braços do amor de mentirinha. No compasso da bateria e do coração, a gente brinca que ama, finge que tudo é fantasia e, na quarta-feira, a mágica se desfaz colocando rei e súditos nos seus lugares.

Últimas postagens

Teu ombro

Quando me vi nua diante de você

Um abismo

Simplesmente acontece

Vômitos!

Quando eu comecei...

A era da desconstrução: casamento gay e as faces do amor

Talvez

Temos todo o tempo do mundo?

Um novo olhar